Estacio
QUEIROZ
MEDI
Moveletro
AABB

Engenheiro florestal apresenta laudo técnico sobre queda de tamarineiros centenário em Icó

Por Gustavo Veras em 22/02/2021 às 19:09:54

O engenheiro florestal Jefferson Moreira da Superintend√™ncia do Meio Ambiente (SUDEMA), apresentou em reuni√£o nesta segunda-feira (22), o laudo técnico sobre as duas √°rvores Tamarineiras situadas na rua Desembargador José Bastos, no s√≠tio histórico do Munic√≠pio icoense.

A gigante √°rvore tombou na manh√£ do √ļltimo dia 15 de fevereiro. A √°rvore gigante, tombou sem atingir nenhuma pessoa ou ve√≠culo que passava pela rua.

De acordo com o engenheiro florestal da Secretaria do Meio Ambiente (Seduma), Jefferson Moreira, respons√°vel pelo laudo técnico, a causa foi a simetria irregular da copa. No decorrer de v√°rios anos as podas, fez com que copa da √°rvore tendia o desenvolvimento para um lado, causando muita irregularidade em seu crescimento, distribui√ß√£o de carga e estabilidade estrutural.

Ainda segundo Jefferson, outro fator que levou o tombamento foi o solo onde a √°rvore se encontra, o solo arenoso, quando o solo é classificado como arenoso, apresenta teor de areia superior a 70% e teor de argila inferior a 15%, tornando o solo menos firme, com as chuvas que ca√≠ram nos dias antecedentes, o local ficou fofo, como um dos lado tinha o menor peso, ocasionou o tomabamento da √°rvore.

O técnico conta que as a√ß√Ķes posteriores ser√£o de preserva√ß√£o da raiz da √°rvore, que continua viva. "A proposta é deixar a raiz intacta, fazer o controle da copa e o tratamento da raiz para que ela se desenvolva, sem prejudicar o ambiente ao seu redor", comenta Jefferson.

História

A √°rvore tem uma import√Ęncia cultural e histórica para a cidade e seus moradores. De acordo com o historiador e coordenador de Cultura e Turismo de Icó, Cl√°udio Pereira, em meados de 1835, as tamarineiras come√ßaram a ser plantadas na regi√£o. Segundo ele, as √°rvores s√£o resistentes, adapt√°veis ao clima da regi√£o e crescem r√°pido. Ele lembra que a √°rvore foi plantada por Glória Dias e guardava uma grande sombra e muita história do "Icó antigo".

Temido por todos, o Bar√£o n√£o frequentava a sociedade e sempre estava envolto em disputas pol√≠ticas como que buscando descarregar sua infelicidade. Mas uma mulher, Dona Glória Dias, descendente do Visconde do Icó, resolveu enfrent√°-lo. Insatisfeito com duas tamarineiras que serviam de abrigo e sombra para viajantes, incomodado com o barulho e o mau cheiro dos animais o Bar√£o ordenou que fossem arrancadas. Dona Glória adquiriu uma carro√ßa de pólvora e informou ao Bar√£o que caso fizesse isso ela faria seu sobrado voar pelos ares. Sabedor que promessa de Glórias Dias era coisa certa de ser cumprida, o Bar√£o recuou.

A carro√ßa de pólvora foi doada para os festejos de Senhor do Bonfim, para serem transformados em fogos de artif√≠cio. Desta briga nasceu a tradi√ß√£o de comemorar todos os anos com muitos fogos a data (6 de janeiro) em homenagem ao santo.

O conto é popular, n√£o existe nenhum documento que comprove a historia.





Comunicar erro
Auto Escola
Candido Torres

Coment√°rios

Mexido Restaurante